Santuário do Corcovado, no Rio, ganha obra de Mário Mendonça

 

O Santuário do Cristo Redentor do Corcovado ganhou neste domingo de Páscoa (20) um quadro do pintor Mário Mendonça representando a ressurreição de Cristo. A tela, de 2,03m por 1,45m, em tons de amarelo e branco, cumpriu um roteiro de exposições iniciado em 29 de janeiro em seis igrejas do Rio. A última parada antes do Cristo Redentor foi na Catedral Metropolitana de São Sebastião, no Centro.

Considerado um dos maiores pintores de arte sacra contemporânea do país, Mário Mendonça fez diversas exposições individuais no Brasil e no exterior. Além de coleções particulares, suas obras fazem parte de acervos como os do Museu do Vaticano, na Itália, do Ibero Amerikanisches Institut, na Alemanha, do Museu Ludmila Jiukava, na Bulgária, e do Museu Nacional de Belas Artes, no Rio, entre outros.

O artista, que completa 80 anos este ano e comemora 50 de pintura, considerou "um presente" o apoio e o aval do arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta. O arcebispo deu uma réplica do quadro “Ressurreição” ao Papa Francisco por ocasião de sua ordenação em fevereiro.

 

Nascido no Rio, Mário Mendonça é autor de vias sacras de várias igrejas, com destaque para as das matrizes da Ressurreição e de Nossa Senhora de Copacabana, em Copacabana, de Santa Mônica, no Leblon, e de Santo Agostinho, na Barra da Tijuca. A Capela de Bom Jesus da Pobreza, em Tiradentes (MG), também conta com uma via sacra de Mário Mendonça, e é a única igreja tombada do barroco brasileiro com uma obra contemporânea retratando o martírio de Cristo.

Para criar o quadro "Ressurreição", Mário Mendonça explica que se distanciou um pouco do seu estilo contemporâneo.

"Busquei o clássico. Queria uma imagem de fácil comunicação e entendimento", disse.

A ideia de fazer o quadro para a Arquidiocese do Rio surgiu em 2008, mas o trabalho foi realizado em 2013.

 

"Antes de pintar, precisei voltar duas vezes à Itália para rever e estudar as obras dos mestres Fra Angelico, Michelangelo, Leonardo e Botticelli e, principalmente, o Sudário de Turim. Fiquei feliz com o resultado", disse Mário Mendonça.

No quadro, o artista apresenta a Santíssima Trindade. No alto, à direita de Cristo, está a mão de Deus o abençoando, e em sua mão esquerda pousa a pomba, símbolo do Espírito Santo, todos com os ferimentos da Paixão. Segundo o artista, como são um só, todos foram feridos e sofrem. Pela primeira vez a ressurreição foi pintada e exibida dessa maneira.

Notícias G1

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

© 2016 por Instituto Mario Mendonça

Praça das Mêrces, 149 - Centro, Tiradentes/MG

  • Facebook Clean
  • White Instagram Icon